Não Sou Omisso: Brasil, um país de contrastes

Posted by Domingos Santiago On 0 comentários
Os recentes números relacionados à economia e ao consumismo no país, realmente impressionam. A classe média expandiu 21,5%, colocando cerca de 25 milhões de pessoas no meio da pirâmide social. A pesquisa Economia Brasileira em Perspectiva, produzida pelo Ministério da Fazenda aponta que até 2014, a classe média terá 113 milhões de brasileiros.

Esquecendo um pouco estes números e estatísticas do Ministério da Fazenda, ainda existem os milhões de brasileiro que ainda não tem acesso à educação de qualidade. Fora daquelas escolas "modelos" que vimos nas propagandas do governo, estão as escolas com estrutura mínima e precária: bancas quebradas, goteira na sala de aula e no corredor, professores mau remunerados e despreparados, a merenda escolar desviada ou de baixa qualidade. Nos números do governo, a educação bate recordes de aprovação, mas o aprendizado ainda continua chato, desinteressante, o tal "copy, cola"

Tem também os belos cartões-postais, mas um pouquinho do lado deles estão as comunidades (ou favelas), que diferença faz se ainda vivem com esgoto a céu aberto, ruas esburacadas, casas de taipa e lona, à beira do rio. Que elas não ousem aparecer nos cartões-postais, pois (com certeza) serão reeditadas em photoshp para serem exportadas.

E tem também as pessoas que no momento em que escrevo este texto ou mesmo você o lê, ainda não fizeram sua primeira ou única refeição digna. Por que elas não comem se o Brasil é o quarto produtor de alimentos do mundo? É porque uma casa brasileira disperdiça, em média, 20% dos alimentos que compra semanalmente, o suficiente para alimentar 500 famílias.

O "país do contraste" se divide, praticamente em dois blocos. Os dos ricos e dos pobres.
Enquanto os ricos esbanjam luxo em carros importados, consumo desnecessário... Os pobres catam o dinheiro para fazer a feira do mês depois de trabalhar oito, doze horas sacrificantes para construir um país que não vai lhe servir, pois boa parte da renda vai para os ricos.

O que se vê é pessoas ricas concluindo cursos superiores nas melhores faculdades públicas do país, enquanto o pobre - que desperdiçou anos de sua vida numa escola pública de má qualidade, mendiga "cotas" para ter acesso ao que é seu por direito.

A gente ainda tem que aturar os governantes enchendo a boca para falar das melhorias que fizeram na saúde ou dos hospitais e clínicas que vão construir, mas que se doentes, irão para as clínicas e hospitais particulares custeados muitas vezes por esse povo que morre na fila do hospital em consequência de uma simples diarréia que poderia ter sido evitada se tivessem saneado àquela rua que a população pediu tanto.

E não acaba por aí, né. Os políticos ainda usam da necessidade do povo para fazer as trocas de favores. Prometem melhorias e até objetos pessoais pelo voto. "Meu único compromisso é com o povo" não é assim que eles dizem? Agora, tenta marcar uma reunião com o candidato que a sua comunidade elegeu nas últimas eleições. Deveriam nos representar, mas nos envergonham com atitudes desrespeitosas, sem ética e dignidade. Sem moral e corrupta. (Sem generalizar, vocês sabem que nem todos são assim).

Este é o momento para avaliarmos nossos conceitos de eleição. Por que o Brasil virou este país policialesco em que as manchetes são figuradas pelos políticos? Pense. Repense. Pesquise. O momento de dar o basta para essas "sacanagens" é este. Dia 3 de outubro, vote consciente.

Domingos Santiago

Fontes:
Sobre a classe C
Desperdício de alimentos
Foto

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião sobre meu blog. Seu comentário é muito importante.