Eleições 2010: A forte imagem do presidente Lula

Posted by Domingos Santiago On 1 comentários
Olá amigos, este texto está disponível também no blog: ASantaPolitica

"Ha Ha Ha Ha... Ele tá rindo à toa"

Como explicar o fenômeno Luís Inácio Lula da Silva nesta eleições? Quem acompanha ou não o horário eleitoral sabe que grande parte dos candidatos - oposição ou não - usam ou desejam usar a imagem de Lula no seu guia eleitoral. Dilma usa e abusa da imagem do presidente, Serra fez inserções no programa eleitoral da tv e do rádio e em jingles, Marina não descarta a possibilidade de usar a imagem de Lula. Pudera. Lula deixa o governo em 31 de dezembro como o presidente mais bem avaliado na história do país. A aprovação de seu governo bateu seus próprios recordes e termina a gestão com 79% de aprovação, segundo Datafolha. A imagem de Lula não está associada exclusivamente ao bom governo, mas ao seu popularismo. Lula chega a ser mais popular que Obama, presidente dos Estados Unidos e figurando no TOP 10 dos homens mais influentes do mundo.

Então surge o grande desafio para a oposição: como criticar um governo que a maioria dos brasileiros aprova?

Dilma pode não ter conquistado plenamente a confiaça dos eleitores, mas herdou a popularidade de Lula. Na última pesquisa vox populi de intenção de voto, Dilma estava 17% a frente de Serra, a petista venceria no primeiro turno. Sabemos que o principal trunfo para a oposição é criticar o governo e suas ações. Serra o tem feito, mas de forma "comportada", ou seja, nada que ferisse a imagem do presidente.
A principal estratégia de Serra (já que é o principal candidato da oposição) é tentar desqualificar Dilma. Nada tem feito efeito, já que Serra, FHC e a atual oposição também desqualificava Lula - e hoje ele figura como um dos políticos mais influentes do mundo.

O próprio slogan da campanha de Serra: "O Brasil pode mais" remete a ideia de aprovação ao governo Lula. O candidato se arrisca ao associar sua imagem à de Lula. Este tipo de posição pode remeter para o eleitor, aliados e opositores uma mudança de postura. Marina Silva afirmou ter respeito e admiração pelo presidente Lula, mas que também tem a coragem de não ficar utilizando a imagem dele de forma oportunista para sua candidatura.
Tenho a coragem de fazer o que nem as lideranças do PSDB são capazes de fazer: dar o crédito da política econômica ao Fernando Henrique, mesmo ele não sendo assim tão popular – afirmou em entrevista.
Os próprios eleitores lembram as duras críticas de Serra à Lula em 2006, quando Lula tentava a reeleição. No dia 26 de janeiro de 2006, Serra comparou Lula a Maluf, dizendo que o presidente faz a "pregação das excelências da ignorância". E poucos anos depois (agosto de 2010) dá o seguinte depoimento:
- "Não sei por que estão se incomodando. Só dissemos que eu e Lula somos políticos experientes, é uma verdade; que nossos nomes têm história, outra verdade; e por último, que eu tenho mais vivência do que Dilma, mais uma verdade indiscutível".

Claro que o contesto é diferente, mas Serra tentam usar a imagem de Lula estrategicamente. O eleitor atento sabe que tudo não passa de um jogo político e que a intenção é mesmo vencer as eleições.

Domingos Santiago

Referências:
  • Serra: Lula se parece com Maluf e prega ignorância {Terra} Acesso: 25.ago.2010
  • Serra se compara a Lula e provoca Dilma em Manaus {Estadão} Acesso: 25.ago.2010
  • Marina Silva faz críticas a Lula e Serra {Diário Catarinense} Acesso: 26.ago.2010

1 comentários:

Antônio Marcos de Souza disse...

O pior é o cinismo e oportunismo de Serra, que criticou Lula por vários anos e agora, quer se fazer de bom moço e dizer que é parecido com ele.
Elogia Lula porque ele é popular, só isso. Se Lula não fosse popular e mesmo tendo realizado avanços significativos no país, Serra o criticaria.

Como a gente pode eleger um presidente que faz suas falas baseadas no medo de perder eleitor.

Que se dane!
#NaoVotoSerra

Marina tem coragem de falar de FHC, o pSDB e Serra, não

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião sobre meu blog. Seu comentário é muito importante.